• WhatsApp: (98) 98414-1054
  • Rua Boa Esperança n° 24, Imperatriz-MA

Doutrina

ORAÇÃO DE JOELHOS

Ao enfrentar o defensor de Roma, o famoso Dr. Eck, Oecolampadius, modesto e não confiante em si próprio, temera o combate. Posto que gentil e cortês nas maneiras mostrou-se capaz e persistente. O reformador apegou-se tenazmente às Escrituras.

"O costume", dizia ele, "não tem força alguma em nossa Suíça, a menos que esteja de acordo com a constituição; ora, em assunto de fé, a Bíblia é a nossa constituição".
Ellen G. White, O Grande Conflito 1985, pág 181

Portanto, podemos inferir que em matéria de fé, a Bíblia é quem estabelece a doutrina da Igreja de Cristo, segundo o profeta Isaías "A lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva" Isaías 8:20. Por isso precisamos perquirir qual a posição que os servos de Deus devem orar, haja vista, que o comodismo e falta de reverência impera nas denominações religiosas apostatadas que buscam argumentos e textos bíblicos retirados de seus legítimos contextos para sustentarem suas orações sentados ou em pé, segundo suas conveniências. É cediço que alguns teólogos e pastores remissos alegam que as Escrituras autorizam oração em pé ou mesmo sentada, elencando textos bíblicos para sustentar suas teses. Chamam de fanáticos, os que defendem orar de joelhos e mãos levantadas, no entanto, vamos analisar detidamente os textos sustentados por esses pastores e teólogos

Encetaremos com o texto esculpido no livro de Lucas, onde Simeão contemplou o messias e louvou o Senhor. Alegam que Simeão orou em pé no templo, vamos examinar o texto:

"Movido pelo Espírito, foi ao templo; e, quando os pais trouxeram o menino Jesus para fazerem com ele o que a lei ordenava, Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus dizendo: Agora, Senhor pode despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra; porque os meus olhos já viram a tua salvação, a qual preparaste diante de todos os povos: luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo Israel. E estavam o pai e a mãe do menino admirados do que ele dizia. Simeão os abençoou e disse a Maria, mãe do menino: eis que este menino está destinado tanto para ruína como para levantamento de muitos em Israel e para ser alvo de contradição" Lucas 2: 27-34.

O Espírito Santo estava sobre Simeão. Havia uma promessa: Revelara-lhe o Espirito Santo que não passaria pela morte antes de ver o Cristo do Senhor. (Lucas 2:26). A promessa foi cumprida, Simeão tomou o menino nos braços e louvou ou agradeceu a Deus pelo cumprimento da promessa, ele não estava orando, veja que ele interrompe sua fala e dirige-se aos pais do menino. Ademais, a Bíblia não diz que ele estava orando ou qual a sua posição. Quem força a interpretação extensiva do texto são os defensores de oração em pé ou sentado.

Em outro texto elencado, segundo seus defensores, Salomão orou em pé no templo, examinaremos o texto:

"Na verdade edifiquei uma casa para tua morada, lugar para tua habitação. Voltou, então, o rei o rosto e abençoou a toda a congregação de Israel, enquanto ela se mantinha toda em pé " I Reis 8:13-14.

Neste texto, restou comprovado de forma límpida que Salomão não estava orando. O texto é claro em sua afirmativa quando diz que Salomão abençoou o povo, assim como no encerramento de nossos cultos, a congregação fica em pé enquanto o orador ou superintendente pede as bênçãos finais. Portanto, estas passagens e outras com supostas orações em pé, não se confirmam. Existem passagens de orações em pé fora do templo, andando pelo caminho, segundo ensinamentos da irmã White:

Para orar não é necessário que estejais sempre prostrados de joelhos. Cultivai o hábito de falar com o Salvador quando sós, quando estais caminhando, e quando ocupados com os trabalhos diários.
Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, pág 510-511

Observe, que tanto caminhando como nos trabalhos diários não é obrigatório ajoelharmos para falarmos com o Senhor. Textos como estes são apresentados como base para orar em pé nos cultos oficiais da igreja, todavia, isto é um erro, haja vista, que são situações particulares fora dos horários dos cultos oficiais da igreja, segundo iluminação de White, vejamos:

Podemos falar com Jesus ao caminhar, e Ele diz: Acho-Me à tua mão direita (Sal. 16:8). Podemos ter comunhão com Deus em nosso coração; andar na companhia de Cristo. Quando empenhados em nossos trabalhos diários, podemos exalar o desejo de nosso coração, de maneira inaudível aos ouvidos humanos, mas essas palavras não amortecerão em silêncio, nem serão perdidas. Ele se ergue acima do burburinho das ruas, acima do barulho das máquinas.
Ellen G. White, Obreiros Evangélicos, pág 258

Não estamos compelidos a orar ao Senhor somente na igreja, onde estivermos podemos falar com o Senhor, sem precisar ficar de joelhos, devemos orar constantemente, de acordo com a nossa necessidade, segundo White:

Devemos orar constantemente, com espírito humilde e manso. Não precisamos esperar por uma oportunidade para ajoelhar-nos diante de Deus. Podemos orar e conversar com o Senhor onde quer que estivermos.
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas vol. 3, pág 266

Por fim, os defensores da doutrina que ensina a orar em pé, alegam que Neemias orou em pé diante de Artaxerxes "Disse-me o rei: Que me pedes agora? Então, orei ao Deus do céu" Neemias 2:4. Segundo a aludida corrente da oração em pé, este texto comprova que podemos orar em pé nos cultos, veja que o texto tem um contexto e a interpretação outra, na contramão da verdade, o texto ensina claramente que podemos orar andando na rua em meio a multidão ou em uma transação comercial. Veja o que diz Ellen White sobre o texto:

Entre as turbas de transeuntes na rua, em meio de uma transação comercial, podemos elevar a Deus um pedido, rogando a direção divina, como fez Neemias quando apresentou seu pedido, perante o rei Artaxerxes.
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas vol. 2, pág 316

Os que ensinam seus adeptos orarem em pé na igreja, baseados em passagens deslocadas de seus contextos, afirmam que Jesus ensinou a orar em pé no templo como regra, no entanto, Jesus contradiz essa afirmação e reprova asseverando que só os hipócritas oram em pé, logo, aprova a oração de joelhos, veja o que ele diz: "E, quando orares, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa" Mateus 6:5.

Quanto as orações particulares realizadas em nosso quarto, Jesus disse para não ora em pé como os hipócritas, "tu porém, disse ele: quando orares, entra no teu quarto e, fecha a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu pai, que vê em secreto, te recompensará" Mateus 6:6. O profeta Daniel nos ensina qual posição devemos orar em nossos quartos e quantas vezes por dia: "Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa e, em cima, no seu quarto, onde havia janelas abertas do lado de Jerusalém, três vezes por dia, se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer" Daniel 6:10. Restou comprovado que Daniel fazia suas orações particulares em seu quarto de joelhos, portanto, somando aos ensinamentos de Jesus, inferimos que nossas orações particulares em nossos quartos devem ser de joelhos. Diferente de nossas orações quando andando na rua, trabalhos diários ou em viagens, que podem ser sentados ou em pé.

Jamais veremos a alva se nossa doutrina não estiver alicerçada na Bíblia e nos Testemunhos, segundo o profeta Isaías (8:20). Portanto, é impossível encontrarmos contradição na Bíblia ou desarmonia entre os Testemunhos e a Bíblia, logo, a irmã White não ensinou orar em pé para uns e orar de joelhos para outros nos cultos. Todavia, alguns defensores da oração em pé apresentam o texto abaixo elencado como prova de que Ellen White doutrinou os irmãos a orar em pé, porque a igreja estava muito cheia. Analisaremos o texto:

Convidei todos quantos quisessem entregar-se a Deus em concerto sagrado, e servi-Lo de todo o coração, a que se levantassem. A casa estava cheia, e quase todos se ergueram. Estavam presentes pessoas não pertencentes a nossa fé, e algumas se levantaram. Apresentei-as ao Senhor em fervorosa oração, e sabemos que tivemos a manifestação do Espírito de Deus. Sentimos que havia sido realmente obtida uma vitória.
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas vol. 3, pág 268

Deveras, houve um caso especial, a igreja estava cheia, então a irmã White convidou todos que quisessem se entregar a Deus a se levantarem, ou seja, havia pessoas não pertencente a fé adventista, que foram convidadas a se levantarem para se converterem e não para orarem em pé, então a irmã White os recomendou a Deus em oração e não houve nenhuma ordem para a igreja orar em pé.

Em outro texto podemos claramente inferir que a irmã White ensinava a igreja a orar de joelhos, para ela, era estranho ou surpresa a igreja cogitar orar em pé, veja o texto:

Fiquei surpresa ao ver toda a congregação levantar-se. Solicitei, então, que todos se ajoelhassem, e enviei minha petição ao Céu por esse povo. Fiquei profundamente impressionada com esta experiência.
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas vol. 3, pág 267

Seria uma tremenda contradição a irmã White ensinar o povo a orar em pé em um texto e autorizar oração de joelhos em outro texto, confrontando deliberadamente a Bíblia. Os dois textos apresentados por certo aparentam divergência. É cediço que houve dúvidas acerca do tema em comento, cartas foram enviadas a irmã White questionando qual seria a posição adotada no momento da oração na igreja. Ela respondeu com um ASSIM DIZ O SENHOR a posição apropriada, repreendendo severamente e em público um irmão que tentou iniciar a oração em pé no culto, essa repreensão é um alerta para a corrente que advogavam a causa de orar em pé na igreja, isolando textos para sustentar sua tese, eis um dos textos:

Tenho recebido cartas perguntando-me sobre a posição que deve ser assumida pela pessoa ao fazer oração ao Soberano do Universo. Onde obtiveram nossos irmãos a ideia de que deviam ficar em pé quando oram a Deus? Alguém que por cerca de cinco anos se educou em Battle Creek foi solicitado a fazer a oração antes que a irmã White falasse ao povo. Mas quando o vi pôr-se em pé enquanto os lábios se iam abrir em oração a Deus, minha alma foi levada ao íntimo a dar-lhe uma repreensão pública. Chamando-o por nome, disse-lhe: Prostre-se de joelhos! Esta é sempre a posição apropriada.
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas vol. 2, pág 311

Com efeito quando a irmã White diz "prostem-se de joelhos! Esta é sempre a posição apropriada", com certeza trata-se de um ASSIM DIZ O SENHOR, não restando dúvidas ou contradições acerca do tema, ou seja, orar de joelhos é a regra, é a posição que deve ser adotada pela igreja de Cristo, não restando qualquer resquício para intentar suscitar doutrinas ensinando orar em pé ou sentado por mera conveniência e irreverência. Segundo o texto, a irmã White mostra sua indignação ao ver o irmão orar em pé a ponto de repreendê-lo publicamente para nunca mais ora em pé nos cultos perante o Soberano do universo. Não confundindo oração oficial da igreja com exceções, quais sejam as orações particulares andando pelo caminho, em trabalhos diários ou viajando, como fomentado alhures.

Teólogos da igreja adventista nominal, ilude seus sectários, ensinando que a passagem acima mencionada que traz um assim diz o Senhor para a igreja orar de joelhos, foi um fato isolado, ensinam que a irmã White estava repreendendo o Dr. Kellog. È cediço que o doutor Kellog era médico e se distanciou da igreja trilhando o caminho do panteísmo, passou a acreditar que Deus é uma energia que move a natureza, no entanto, é mais uma mentira dos teólogos adventistas, dizem que o objetivo da advertência era combater a imponência e o espírito irreverente que estava sendo cultivado por pessoas de Battle Creek, e não era intenção dar uma regra geral dogmática sobre o tema, para a Igreja, no entanto não podemos olvidar, que Battle Creek era o centro da obra da igreja adventista na época, quando a profetisa viu o irmão orando em pé, ela não repreendeu unicamente o doutor Kellog, mas toda a igreja, proibindo ministros, diretores e professores ensinarem membros da igreja orarem em pé, exaltando os esclarecimentos fornecidos por Deus acerca dessa questão, que deve ser respeitada. Como se vê:

Onde recebeu o irmão H sua educação? __ Em Battle Creek. Será possível que com todo o esclarecimento que Deus tem dado a seu povo sobre a reverência, ministros, diretores e professores de nossas escolas, por preceito e exemplo ensinem os jovens a ficarem em pé na devoção, como faziam os fariseus? Consideraremos isto demonstrativo de sua presunção e importância própria? Devem essas características tornar-se distintas?
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas vol. 2, pág 313

Em outra passagem, que veremos adiante, a irmã White ratifica o Assim diz o Senhor tanto no culto público como no culto particular, elencando várias passagens bíblicas com exemplos de oração de joelhos, inclusive de Jesus e seus discípulos, em nenhum momento ela se reporta a oração em pé ou sentado, pelo contrário, é mostrado que Deus é merecedor de toda reverência, portanto:

quando vos reunis para adorar a Deus, não deixeis de vos prostrar de joelhos diante dEle. Que esta ação testifique de que toda alma, e corpo e espírito estão em sujeição ao Espírito de verdade. Quem tem examinado a palavra diligentemente à procura de exemplos e orientações neste respeito?
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas vol. 2, pág 314

O Senhor é santo e o lugar onde nos encontramos com o Senhor é sagrado, portanto devemos procurar nos espelhar nos servos de Deus para seguir o exemplo. Como caídos, contaminados pela natureza pecaminosa e dependente de Deus e de sua divina natureza ofertada pelo sacrifício de seu filho, devemos orar prostrados diante do Senhor que nos criou. Observe que a irmã White começa o texto advertindo que nossa posição ao orar ao Criador do universo deve ser sempre de joelhos. Os defensores do comodismo da oração em pé e sentados, se negam prostrar-se diante do Soberano porque seus sentimentos não estão acobertados pela natureza divina de Cristo, pensam que são iguais ao Criador e podem estar em igualdade com o Senhor, negando curvar-se perante o Governador do universo com a devida reverência, como está escrito: "Por minha vida diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo o joelho, e toda língua dará louvor a Deus" Romanos 14:11. Analise o texto da irmã White ratificando os ensinamentos de Paulo:

Nossa atitude em oração Tanto no culto público, como no particular, temos o privilégio de curvar os joelhos perante o Senhor ao fazer-Lhe nossas petições. Jesus, nosso exemplo, "pondo-Se de joelhos, orava". Lucas 22:41. Acerca de Seus discípulos acha-se registrado que também se punham de joelhos e oravam. Atos dos Apóstolos 9:40; 20:36; 21:5. Paulo declarou: "... Me ponho de joelhos perante o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo." Efésios 3:14. Ao confessar perante Deus os pecados de Israel, Esdras ajoelhou-se. Esdras 9:5. Daniel "três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante de seu Deus". Daniel 6:10. A verdadeira reverência para com Deus é inspirada por um sentimento de Sua infinita grandeza, e de Sua presença. Com esse sentimento do Invisível, todo coração deve ser profundamente impressionado. A hora e o lugar da oração são sagrados, porque Deus Se encontra ali, e, ao manifestar-se reverência em atitude e maneiras, o sentimento que inspira essa reverência se tornará mais profundo. "Santo e tremendo é o Seu nome" (Salmos 111:9), declara o salmista. Ao proferirem esse nome, os anjos velam o rosto. Com que reverência, pois, devemos nós, caídos e pecadores, tomá-lo nos lábios!
Ellen G. White, Obreiros Evangélicos, pág 178

Deus exigiu de Daniel e seus companheiros que orassem de joelhos, assim como ele exige que sua igreja se ajoelhe em oração particular, como no culto público. "Vinde, adoremos e prostremo-nos, e dobremos os joelhos diante do Senhor que nos criou" Salmos 94:6. Veja mais um exemplo de Daniel: "E, quando eu ainda falava, e orava, e confessava os meus pecados e os pecados do meu povo de Israel, e, quando prostrado apresentava as minhas súplicas na presença do meu Deus a favor do santo monte de meu Deus" Daniel 9:20. Ellen White ratifica que Deus exige que seu povo ore de joelhos, assim como exigiu de Daniel, indicando a posição, confira o texto:

Quando em oração a Deus a posição indicada é prostrado de joelhos. Este ato de culto foi exigido dos três Hebreus cativos na Babilônia... Tanto no culto público como no particular é nosso dever prostrar-nos de joelhos diante de Deus quando lhe dirigimos nossas petições. Este procedimento mostra nossa dependência de Deus.
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol 2, pág 312

Os pagãos reverenciam suas divindades prostrando-se em sinal de respeito e dependência, ao passo que os pseudos cristãos enaltecem teses para reverenciar ao único Deus vivo e verdadeiro em pé ou sentados como se estivessem em igualdade com o Criador. Estes pagãos estão honrando suas divindades com mais reverência do que os cristãos. A irmã White alerta a igreja para não orar ereto como os fariseus, mas, com toda reverência, prostrados diante do Senhor, preocupada com a situação de irmãos tendenciosos a firmar a tese de orar em pé, ela disse:

Temos a esperança de que nossos irmãos não manifestarão menos reverência e respeito ao aproximarem-se do único Deus vivo e verdadeiro do que os pagãos manifestam para com suas divindade idolátricas, ou estes povos serão nossos juízes no dia da decisão final. Falo a todos os que ocupam os lugares de professores em nossas escolas. Homens e mulheres, não desonreis a Deus pela vossa irreverência e impotência. Não vos ponhais eretos em vosso farisaísmo ao fazer vossas orações a Deus. Desconfiai de vossa própria força. Não confieis nela; mas prostrai-vos frequentemente de joelhos diante de Deus, e adorai-O.
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol 2, pág 314

Por fim, importa destacar que, quando uma igreja se apostata, ela abandona paulatinamente os preceitos e princípios doutrinários, criando formas divergentes da doutrina de Cristo, de acordo com a conveniência da congregação, de fato, vivemos em tempos perigosos, de apostasia galopante, as igrejas estão perdendo o espirito devocional e um dos pontos abandonados é a devida posição de orar a Deus, de joelhos e mãos levantadas. Nesta Igreja, a regra para os cultos oficiais, cultos matutinos e vespertinos e orações particulares nos lares é orar sempre de joelhos e mãos levantadas, permitindo a oração em pé quando caminhando, viajando, em meio ao povo na rua etc. É esse o ensinamento da irmã White, conforme se vê:

Estamos a viver em tempos perigosos. Os adventistas do sétimo dia fazem a profissão de ser o povo que guarda os mandamentos de Deus; mas estão a perder o seu espírito devocional. Este espírito de reverência para com Deus ensina aos homens a maneira de se aproximarem do seu Criador__ com consagração e reverência pela fé, não em si mesmos, mas num Mediador. Assim o homem está seguro sob todas as circunstâncias em que se encontre. O homem deve vir ao escabelo da misericórdia de joelhos prostrados, como um súdito da graça, um suplicante.
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol 2, pág 314-315

Nos ditos de Paulo, orai sem cessar ( I Tess. 5:17) de joelhos nos cultos e em pé andando, trabalhando, viajando ou no meio do povo na rua. Com certeza o Senhor ouvirá a oração dos fiéis servos que depende da natureza divina de Cristo e não são soberbos confiando em sua fé alavancada pela natureza pecaminosa.



Pastor: Walber Rodrigues Belo

scroll up