• WhatsApp: (98) 98414-1054
  • Rua Boa Esperança n° 24, Imperatriz-MA

Lições

A TRÍPLICE ALIANÇA PERSEGUIDORA

Haverá aliança de poderes entre o dragão, a besta e o falso profeta, com escopo de estimular o Estado, ou seja, o poder civil a formular leis perseguidoras contra a igreja de Deus. Os Estados Unidos, a besta de dois cornos, representa o protestantismo apostatado, desta nação vai sair o decreto impondo a guarda do domingo. Os três poderes enganadores se unem entre si e reclamam dos reis da terra, isto é, dos poderes civis, o concurso para a final batalha contra Deus, seu povo e a verdade. Esses poderes são os três espíritos de rãs. "Então vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs; porque eles são espíritos de demônios, operadores de sinais, e se dirigem aos reis do mundo inteiro com o fim de ajuntá-los para a peleja do grande dia do Deus Todo Poderoso" Apocalipse 16:13-14.

O que representa esses poderes? O dragão é Satanás (Apocalipse 12:9) trabalhando por meio do espiritismo. O espiritismo é utilizado por Satanás de quatro formas diferentes:

team
O PAGANISMO

Formas pagãs de culto e superstição dominadas pelo espiritismo. E falsidades emprestadas do paganismo, incorporado ao cristianismo.

team
O ESPIRITISMO MODERNO E SOCIAL

A crença de que os espíritos dos mortos voltam para ministrar aos vivos. Espiritismo social, efetuando muitas obras sociais.

team
O ESPIRITISMO CRISTÃO

Que se desenvolve em cultos evangélicos e católicos através de curas, milagres e prosperidade com supedâneo nas doutrinas da imortalidade da alma e a santificação do domingo.

team
O ESPIRITISMO CIENTÍFICO

Que se propaga no meio acadêmico com prática de investigação em laboratório ostentando a bandeira da parapsicologia e outras designações modernas.

A besta é Satanás atuando através do papado (Apocalipse 13:1-13) como falso profeta, Satanás atua nas igrejas evangélicas apostatadas por recusar a verdade, recebendo apoio do Estado. Segundo White, O Grande Conflito.

No Capítulo 13:1-10, descreve-se a besta "semelhante ao leopardo", à qual o dragão deu "o seu poder, o seu trono, e grande poderio." Este símbolo, como a maioria dos protestantes tem crido, representa o papado, que se sucedeu no poder, trono e poderio uma vez mantidos pelo antigo Império Romano.
Ellen G. White, 1985, O Grande Conflito, pág 474

A renomada autora, continua sua narração apontando dois erros fatias comungados por Católicos e Evangélicos.

Mediante os dois grandes erros — a imortalidade da alma e a santidade do domingo — Satanás há de enredar o povo em suas malhas. Enquanto o primeiro lança o fundamento do espiritismo, o último cria um laço de simpatia com Roma. Os protestantes dos Estados Unidos serão os primeiros a estender as mãos através do abismo para apanhar a mão do espiritismo; estender-se-ão por sobre o abismo para dar mãos ao poder romano; e, sob a influência desta tríplice união, este país seguirá as pegadas de Roma, desprezando os direitos da consciência.
Ellen G. White, 1985, O Grande Conflito, pág 593

Satanás, através dos três espíritos de rãs vai perseguir o povo de Deus, inclusive sob pena de morte, esses três espíritos imundos vão estimular o governo americano a promulgar o decreto impondo a guarda do domingo, com grave afastamento dos princípios democráticos e de liberdade religiosa. Tanto a igreja como o Estado estão costurando preparativos para implementar este horroroso evento. O ecumenismo é um dos instrumentos utilizado pelo catolicismo e os falsos profetas (igrejas evangélicas). O decreto é o sinal.

"E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra contra os demais de sua semente, que guardam os mandamentos de Deus e tem o testemunho de Jesus Cristo"
Apocalipse 12:17.

Num futuro não muito distante haveremos de ver estas palavras cumpridas, quando as igrejas protestantes se aliarem com o mundo e o poder papal contra os que guardam os mandamentos de Deus. O mesmo espírito que atuou nos romanistas em épocas passadas há de induzir os protestantes a adotarem as mesmas medidas contra os que se conservam leais à lei de Deus. A Igreja e o Estado estão agora fazendo preparativos para um futuro conflito. Como outrora os romanistas, os protestantes estão agindo dissimuladamente para exaltar o domingo.
Ellen G. White, 1985, Testemunhos Seletos 2, pág 149
No movimento ora em ação nos Estados Unidos a fim de conseguir para as instituições e usos da igreja o apoio do Estado, os protestantes estão a seguir as pegadas dos romanistas. Na verdade, mais que isto, estão abrindo a porta para o papado a fim de adquirir na América do Norte protestante a supremacia que perdeu no Velho Mundo. E o que dá maior significação a este movimento é o fato de que o principal objeto visado é a obrigatoriedade da observância do domingo, prática que se originou com Roma, e que ela alega como sinal de sua autoridade.
Ellen G. White, 1985, O Grande Conflito, pág 579
Por um decreto que visará impor uma instituição papal em contraposição à lei de Deus, a nação americana se divorciará por completo dos princípios da justiça. Quando o protestantismo estender os braços através do abismo, a fim de dar uma das mãos ao poder romano e a outra ao espiritismo, quando por influência dessa tríplice aliança a América do Norte for induzida a repudiar todos os princípios de sua Constituição, que fizeram dela um governo protestante e republicano, e adotar medidas para a propagação dos erros e falsidades do papado, podemos saber que é chegado o tempo das operações maravilhosas de Satanás e que o fim está próximo.
Ellen G. White, 1985, Testemunhos Seletos 2, pág 150-151

Como o mundo vê o pequeno grupo que guarda os mandamentos de Deus? Aqui temos mais uma prova de que os remanescentes, o próprio nome remanescente já basta para entendermos que se trata de um resto, e não multidões como alguns defendem. Incapazes de se defenderem por si só, clamarão e confiarão unicamente no Senhor para socorre-los, tal como o Senhor livrou Mardoqueu e seu povo, o Senhor nos defenderá, ele nos conforta dizendo:

"Mas deixarei, no meio de ti, um povo pobre e humilde, que confia no nome do Senhor" Sofonias 3:12
"Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino" Lucas 12:32


"Então, disse Hamã ao rei Assuero: Existe espalhado, disperso entre os povos em todas as províncias do teu reino, um povo cujas leis são diferentes das de todos os povos e que não cumpre as do rei; pelo que não convém ao rei tolerá-lo. Se bem parecer ao rei, decrete-se que sejam mortos, e, nas próprias mãos dos que executarem a obra, eu pesarei dez mil talentos de prata para que entrem nos tesouro do rei" Ester 3:8-9.

O decreto que será promulgado contra o povo de Deus há de oferecer muita semelhança com o de Assuero contra os judeus nos dias de Ester. O edito persa se originara na maldade de Hamã contra Mardoqueu, não porque este lhe houvesse feito mal, mas porque se recusara a tributar-lhe a reverência que só a Deus é devida. A decisão do rei foi obtida sob falsos pretextos, mediante uma errônea representação do caráter desse povo. O plano mesmo fora inspirado por Satanás, ao qual interessava desarraigar da Terra os que preservam o conhecimento do Deus vivo.
Ellen G. White, 1985, Testemunhos Seletos 2, pág 149
O mundo protestante moderno vê no pequeno grupo de observadores do sábado um Mardoqueu à porta. Seu caráter e conduta, exprimindo a verdadeira reverência pela lei de Deus, são uma exprobração constante para os que renunciaram o temor do Senhor, calcando a pés seu santo sábado. Os intrusos e inoportunos precisam de alguma maneira ser eliminados. O mesmo espírito despótico que noutras eras tramou contra os fiéis há de tentar extirpar da face da Terra os que temem a Deus e obedecem à Sua lei. Satanás há de excitar a indignação contra uma minoria que conscienciosamente se recusa a aceitar costumes e tradições populares.
Ellen G. White, 1985, Testemunhos Seletos 2, pág 150
Estes poucos remanescentes, incapazes de se defenderem no conflito mortal com os poderes da Terra, arregimentados pela hoste do dragão, fazem de Deus a sua defesa.
Ellen G. White, 1985, Testemunhos Seletos 2, pág 67

Como magistrados, religiosos e governos tratarão o pequeno grupo de guardadores do Sábado do Senhor? Após a promulgação da lei obrigatória para guardar o domingo, o povo de Deus será perseguido e sofrerão falsas acusações como seu mestre e os apóstolos, no entanto defenderão a doutrina até o fim.

"Poupa a teu povo, ó Senhor, e não entregues a tua herança ao opróbio" Joel 2:17.

"Bem aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. Bem aventurados sois, quando vos injuriarem e perseguirem, e mentindo, disserem todo mal contra vós por minha causa. Exultai, e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós" Mateus 5:10-12.

Magistrados perseguidores, ministros e membros de igreja, hão de conspirar contra eles. De viva voz e com a pena, com ameaça, escárnio e zombaria, hão de tentar derrotar a sua fé. Desvirtuando os fatos e por meio de apelos violentos hão de procurar acirrar as paixões do povo. Não podendo apresentar contra os defensores do sábado bíblico um "está escrito", à falta deste, lançarão mão da violência. A fim de se fazerem populares e conquistarem a simpatia do povo, os legisladores hão de ceder ao desejo deste, de obter leis dominicais.
Ellen G. White, 1985, Testemunhos Seletos 2, pág 150
Quando nossa nação [Estados Unidos], em suas assembléias legislativas, promulgar leis que restrinjam a consciência das pessoas quanto ao seus privilégios religiosos, impondo a observância do domingo e exercendo poder opressor contra os que guardam o sábado do sétimo dia, a lei de Deus será, para todos os efeitos, invalidada em nosso país, e a apostasia nacional será seguida de ruína nacional.
Ellen G. White, 1994, Eventos Finais, pág 117
Como a aproximação dos exércitos romanos foi um sinal para os discípulos da iminente destruição de Jerusalém, assim essa apostasia será para nós um sinal de que o limite da paciência de Deus está atingido.
Ellen G. White, 1994, Eventos Finais, pág 116

Desde o principio Satanás perseguiu a igreja de Deus, o Senhor colocou inimizade ente Satanás e sua igreja, em Gênesis 3:15 "Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhes ferirá o calcanhar". Desde então, a luta prossegue, quando Satanás foi jogado para a terra, ele intensificou essa luta contra a igreja primitiva, e nos fim dos tempos contra os remanescentes. "E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra contra os demais de sua semente, que guardam os mandamentos de Deus e tem o testemunho de Jesus Cristo" Apocalipse 12:17. Não podemos olvidar que: "Todos os que querem viver piamente em Cristo, padecerão perseguição" II Timóteo 3:12.

A sagacidade e astúcia da Igreja de Roma são surpreendentes. Ela sabe ler o futuro. Aguarda o seu tempo, vendo que as igrejas protestantes lhe estão prestando homenagem com o aceitar do falso sábado, e se preparam para impô-lo pelos mesmos meios que ela própria empregou em tempos passados.
Ellen G. White, 1985, O Grande Conflito, pág 585
Mas nossa principal preocupação é silenciar esta seita de observadores do sábado. Devemos excitar contra eles a indignação popular. Alistaremos ao nosso lado grandes homens e homens sábios segundo o mundo, e induziremos aos que estão em autoridade a executar os nossos propósitos. Estes relatos do passado [referem-se a casos históricos em que Roma obrigou diversos povos a abandonar o sábado e observar o domingo] revelam claramente a inimizade de Roma para com o Sábado legítimo e seus defensores, e os meios que emprega para honrar a instituição por ela criada. A palavra de Deus ensina que estas cenas devem repetir-se, quando os católicos romanos e protestantes se unirem para a exaltação do domingo.
Ellen G. White, 1985, O Conflito dos Séculos, pág 626

Segundo a profecia esculpida pelo apóstolo João no Apocalipse 13:11. A segunda besta os Estados Unidos, farão com que a terra e seus moradores adorem a primeira besta, engana toda a terra, ordena aos habitantes da terra que façam uma imagem a besta (Roma). O que isto quer dizer? Quer dizer que o decreto promulgado pela segunda besta terá caráter universal, todos devem guardar o domingo sob pena de não comprar nem vender, comercializar, etc

"Seduz os habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, aquela que, ferida a espada sobreviveu" Apocalipse 13:14.

Quando a América, o país da liberdade religiosa, se aliar com o papado, a fim de dominar as consciências e impelir os homens a reverenciar o falso sábado, os povos de todos os demais países do mundo hão de ser induzidos a imitar-lhe o exemplo. O nosso povo está longe de fazer quanto lhe permitem os recursos que tem ao seu dispor, a fim de estender a mensagem de advertência.
Ellen G. White, 1985, Testemunhos Seletos 2, pág 373
Tanto no Velho como no Novo Mundo o papado receberá homenagem pela honra prestada à instituição do domingo, que repousa unicamente na autoridade da Igreja de Roma.
Ellen G. White, 1985, O Conflito dos Séculos, pág 627

Quando a Besta (Papado) recuperar o poder perdido, atingida por ferida mortal, na época em que Napoleão mandou aprisionar o Papa e confiná-lo na França, onde ficou recluso até receber a Basílica de São Pedro, ofertado pelo ditador italiano Benito Mussoline em 1929, então, está besta vai cumprir mais uma vez a profecia de Daniel que diz: "Proferirá palavras contra o Altíssimo, magoará os santos do Altíssimo e cuidará em mudar os tempos e a lei; e os santos lhe serão entregues nas mãos" Daniel 7:25.


A imposição das leis dos homens em lugar da lei de Deus; a exaltação por mera autoridade humana do domingo em lugar do sábado bíblico, eis o último ato do drama. Quando esta instituição chegar a ser universal, Deus se manifestará. Ele se levantará com majestade para sacudir terrivelmente a terra. Sairá do seu lugar para castigar os habitantes do mundo por sua iniquidade.
Ellen G. White, RH, 17 de abril de 1909, republicado em 7T, pág 141

Pastor: Walber Rodrigues Belo


scroll up